‘Trocas Itapira’ faz sucesso e vira ‘feirão de rolos’ no Facebook

 
Espalhe cultura por aí...Email this to someoneTweet about this on Twitter0Share on Facebook4

Bicicletas, eletrodomésticos, eletrônicos, alarmes, mochilas, sapatos. Animais, produtos de beleza, camisetas, tesouras, instrumentos, cafeteira, peças. Se Itapira não tem uma ‘Feira do Rolo’ como a vizinha Mogi Guaçu, um grupo criado na Internet não deixa a desejar quando o assunto é ofertas e variedade. Criado em abril de 2012, na rede social Facebook, o grupo ‘Trocas Itapira’ funciona como um ‘classificadão’ online e alternativo, que tem se revelado uma poderosa ferramenta para quem quer comprar, vender e, principalmente, trocar.

Até a última quarta-feira, o grupo registrava quase 2,7 mil membros – muito mais que a média esperada pelo criador da ferramenta, o analista de sistemas Adriano Santini, 35 anos. “Eu imaginava que teríamos, no máximo, 500 integrantes”, conta. A ideia, segundo ele, surgiu inspirada em uma criação semelhante de seu primo Gustavo Marega, de Araraquara (SP). “Ele tinha algumas coisas na casa dele e queria trocar. Resolveu criar o grupo ‘Trocas Araraquara’, que hoje tem mais de 12 mil membros. Achei interessante e criei um aqui também, e o resultado foi impressionante”, lembra Santini. Segundo ele, com apenas uma semana de atividade, o grupo já contabilizava cerca de 100 membros.

Diariamente, dezenas de anúncios são postados no ‘Trocas Itapira’. Tem gente querendo vender e comprar, mas o intuito principal é fomentar a troca de objetos entre os membros. “Liberar as vendas foi um pedido dos usuários do grupo. No começo eram apenas anúncios de trocas. Hoje, creio que as vendas representem 30% do movimento do grupo. Mas, o que mais ocorre é algum interessado oferecer algo em troca do artigo anunciado para venda”, comenta o analista.

Santini criou o grupo e se surpreendeu (Léo Santos)

Santini criou o grupo e se surpreendeu (Léo Santos)

Com tanto movimento, surgiu a necessidade de organizar o espaço e iniciar um tipo de moderação de forma a coibir possíveis abusos. “Precisei criar algumas regras, que entraram em vigor com aprovação da maioria dos membros. Fazemos a moderação das publicações, que devem estar em conformidade com essas normas”. Além do regulamento de uso, fixado em uma publicação no topo da página, Santini recrutou outros três administradores que acompanham as atividades para evitar qualquer tipo de mau uso. “Hoje, apagamos uma média de cinco publicações por dia, sempre por desrespeito a alguma regra. Aliás, fico impressionado com o número de pessoas que não leem as regras antes de postar. Temos uma média de 50 novos usuários por semana e pelo menos 20% deles têm seu primeiro anúncio removido”, revela.

O analista diz que até agora não enfrentou grandes dificuldades com a ferramenta – com exceção de alguns desentendimentos entre membros, geralmente resolvidos entre eles mesmos. “Mas, já recebi uma mensagem bem mal educada de uma pessoa que foi banida permanentemente do grupo após vários abusos e desrespeito aos demais membros”, salienta. Segundo ele, até agora menos de dez pessoas foram banidas do ‘Trocas Itapira’.

Prestes a completar um ano de existência, o balanço geral é positivo, diz Santini. Críticas positivas e elogios à funcionalidade do grupo são frequentes. O volume de negócios fechados é grande e o crescimento contínuo serve para aferir a boa aceitação da iniciativa. O trabalho de manutenção e moderação do grupo feito pelo criador do grupo também já produziu situações curiosas. Para ele, o melhor é a variedade das ofertas, que às vezes se revelam bem inusitadas. “Aparece de tudo um pouco, desde pessoas querendo trocar projetores por tablets. Também anunciam desenhos feitos à mão e aparece gente até mesmo procurando namorada para o cachorro de estimação”, enfatiza. Com a aglomeração de pessoas, a ferramenta também já revelou atitudes solidárias, segundo o analista. Um exemplo é uma postagem feita por uma pessoa que pedia doação de berço, banheira ou qualquer outro artigo que ajudasse uma família carente com um bebê recém-nascido. “No mesmo dia, vários membros ofereceram auxílio. Também já vi pedidos de doação de computadores velhos, que seriam restaurados e doados a instituições assistenciais da cidade. São algumas coisas solidárias que aparecem às vezes, não são coisas engraçadas, mas fazem alguém sorrir”, destaca Santini.

Os administradores mantêm voluntariamente as atividades do grupo, não recebendo qualquer tipo de comissão ou vantagem pelos negócios realizados entre os membros. Os cuidados, no entanto, devem ser os de praxe nesses tipos de situações, aponta Santini. “Na verdade, o grupo é somente um canal de contato entre pessoas dispostas a fazer negócios. Não temos controle sobre isso, então é importante tomar os mesmos cuidados que se tem ao fazer negócio com alguém que anuncia em um classificado de jornal ou outro tipo de mídia”, finaliza.

APROVADO

Larissa fez bons negócios com livros e outros objetos (Léo Santos)

Larissa fez bons negócios com livros e outros objetos (Léo Santos)

Com cerca de 700 livros em casa, a dona de casa Larissa de Souza, 29 anos, viu no ‘Trocas Itapira’ a chance de se desfazer do montante. “Uma pessoa me deu os livros por causa de uma reforma. Mas, percebi que eu não teria tempo de ler todos os títulos, e achava um absurdo ver tanta informação parada em casa. Aí resolvi vender por um preço bacana para quem gosta de leitura”.

Ela anunciou a venda das 700 obras no dia 25 de fevereiro, e o resultado foi quase que instantâneo. Até o meio da última semana restavam apenas 80 títulos. “Eu já conhecia o grupo e até já havia feito outros negócios ao anunciar na página. Meu marido também já tinha feito negócios lá, então resolvi tentar e deu certo. É uma ótima iniciativa”, frisou Larissa.

O ‘Trocas Itapira’ também já inspirou outro grupo, o ‘Trocas Mogi Mirim’, cujo criador entrou em contato com Santini para pedir orientações. Já o grupo de Araraquara também já inspirou outro lançamento, o ‘Trocas São Carlos’. Também já existe o ‘Trocas Mogi Guaçu’.

 
 
 

3 Comentários

  1. leonel longo disse:

    vendo um escapamento da coyote para moto xer 300 e muito novo

    Responder ao comentário

  2. procuro um tablet mai em conta para compra para minha filha ela esta quase doente no momento eu estou meio cem condições para tira um da loja se alguem souber eu agradeço

    Responder ao comentário

  3. Achei muito interessante, adoro trocar coisas.

    Responder ao comentário

 
 

Qual sua opinião?